Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.

1. Pelos que ordenadamente se enfileiram,

2. E depois energicamente expulsam o inimigo.

3. E recitam a mensagem.

4. Em verdade, vosso Deus é Único.

5. Senhor dos Céus e da terra e de tudo quanto existe entre ambos, e Senhor dos levantes!

6. Em verdade, adornamos o céu aparente com o esplendor das estrelas.

7. (Para esplendor) e para proteção, contra todos os demônios rebeldes,

8. Para que não possam ouvir os celícolas, pois serão atacados, por todos os lados,

9. Como repulsa, e terão um sofrimento permanente.

10. Exceto quem arrebatar algo, furtivamente, será perseguido por um meteoro flamejante.

11. Pergunta-lhes se são, acaso, de mais difícil criação do que os (outros) seres que temos criado. Criamo-los do barro argiloso.

12. Porém, assombras-te, porque te escarnecem.

13. E quando são exortados, não acatam a exortação.

14. E quando vêem algum sinal, zombam.

15. E dizem: Isto não é mais do que uma magia evidente!

16. Acaso, quando morrermos e formos reduzidos a pó e ossos, seremos ressuscitados?

17. E também (o serão) nosso antepassados?

18. Dize-lhes: Sim! E sereis humilhados!

19. E para isso bastará um só grito; e ei-los começando a ver!

20. Exclamarão : Ai de nós! Eis o Dia do Juízo.

21. (Ser-lhes-á dito): Este é o Dia da Discriminação, que negáveis.

22. (E será dito aos anjos): Congregai os iníquos com suas esposas e tudo quanto adoravam,

23. Em vez de Deus, e conduzi-os até à senda do inferno!

24. E detende-os lá, porque serão interrogados:

25. Por que não vos socorreis mutuamente?

26. Porém, nesse dia, submeter-se-ão (ao juízo).

27. E começarão a reprovar-se reciprocamente.

28. Dirão: Fostes vós, os da mão direita, que usáveis vir a nós.

29. Responder-lhes-ão (seus sedutores): Qual! Não fostes fiéis!

30. E não exercemos autoridade alguma sobre vós. Ademais, éreis transgressores.

31. E a palavra de nosso Senhor provou ser verdadeira sobre nós, e provaremos (o castigo).

32. Seduzimos-vos, então, porque fôramos seduzidos.

33. Em verdade, nesse dia, todos compartilharão do tormento.

34. Sabei que trataremos assim os pecadores.

35. Porque quando lhes era dito: Não há mais divindade além de Deus!, ensoberbeciam-se.

36. E diziam: Acaso, temos de abandonar as nossas divindades, por causa de um poeta possesso?

37. Qual! Mas (o Mensageiro) apresentou-lhes a Verdade e confirmou os mensageiros anteriores.

38. Certamente sofrereis o doloroso castigo.

39. E não sereis castigados, senão pelo que tiverdes feito.

40. Salvo os sinceros servos de Deus.

41. Estes terão o sustento estipulado.

42. Os frutos. E serão honrados,

43. Nos jardins do prazer,

44. Reclinados sobre leitos, mirando-se uns aos outros, de frente.

45. Ser-lhes-á servido, em um cálice, um néctar,

46. Cristalino e delicioso, para aqueles que o bebem

47. O qual não os entorpecerá nem os intoxicará,

48. E junto a eles haverá mulheres castas, restringindo os olhares, com grandes olhos,

49. Como se fossem ovos zelosamente guardados.

50. E começarão a interrogar-se reciprocamente.

51. Um deles dirá: Eu tinha um companheiro (na terra),

52. Que perguntava: És realmente dos que crêem (na ressurreição)?

53. Quando morrermos e formos reduzidos a pó e ossos, seremos, acaso, julgados?

54. (Ser-lhes-á dito): Quereis observar?

55. E olhará, e o verá no seio do inferno.

56. Dir-lhe-á então: Por Deus, que estiveste a ponto de seduzir-me!

57. E se não fosse pela graça do meu Senhor, contar-me-ia, agora, entre os levados (para lá)!

58. (Os bem-aventurados dirão): Não é, acaso, certo que não morreremos,

59. A não ser a primeira vez, e que jamais seremos castigados?

60. Em verdade, esta é a magnífica aquisição!

61. Que trabalhem por isso, os que aspiram lográ-lo!

62. Qual é melhor recepção, esta ou a da árvore do zacum?

63. Sabei que a estabelecemos como prova para os iníquos.

64. Em verdade, é uma árvore que cresce no fundo do inferno.

65. Seus ramos frutíferos parecem cabeças de demônios,

66. Que os réprobos comerão, e com eles fartarão os seus bandulhos.

67. Então, ser-lhes-á dada (a beber) uma mistura de água fervente.

68. E depois retornarão ao inferno.

69. Porque acharam seus pais extraviados.

70. E se apressaram em lhes seguirem os rastros.

71. Já, antes disso, a maioria dos primitivos se havia extraviado.

72. Não obstante, temos-lhes enviado admoestadores.

73. Observa, pois, qual foi a sorte dos admoestados.

74. Exceto a dos sinceros servos de Deus.

75. Noé Nos havia suplicado! E somos o melhor para ouvir as súplicas.

76. E o salvamos, juntamente com a sua família, da grande calamidade.

77. E fizemos sobreviver a sua prole.

78. E o fizemos passar para a posteridade.

79. Que a paz esteja com Noé, entre todas as criaturas!

80. Em verdade, assim recompensamos os benfeitores.

81. Pois ele era um dos Nossos servos fiéis.

82. Logo, afogamos os demais.

83. Sabei que entre aqueles que seguiram o seu exemplo estava Abraão,

84. Que se consagrou ao seu Senhor de coração sincero.

85. E disse ao seu pai e ao seu povo: Que é isso que adorais?

86. Preferis as falsas divindades, em vez de Deus?

87. Que pensais do Senhor do Universo?

88. E elevou seu olhar às estrelas,

89. Dizendo: Em verdade, sinto-me enfermo!

90. Então eles se afastaram dele.

91. Ele virou-se para os ídolos deles e lhes perguntou: Não comeis?

92. Por que não falais?

93. E pôs-se a destruí-los com a mão direita.

94. E (os idólatras) regressaram, apressados, junto a ele.

95. Disse-lhes: Adorais o que esculpis,

96. Apesar de Deus vos ter criado, bem como o que elaborais?

97. Dissera: Preparai para ele uma fogueira e arrojai-o no fogo!

98. E intentaram conspirar contra ele; porém, fizemo-los os mais humilhados.

99. E disse (Abraão): Vou para o meu Senhor, Que me encaminhará.

100. Ó Senhor meu, agracia-me com um filho que figure entre os virtuosos!

101. E lhe anunciamos o nascimento de uma criança (que seria) dócil.

102. E quando chegou à adolescência, seu pai lhe disse: Ó filho meu, sonhei que te oferecia em sacrifício; que opinas? Respondeu-lhe: Ó meu pai, faze o que te foi ordenado! Encontrar-me-ás, se Deus quiser, entre os perseverantes!

103. E quando ambos aceitaram o desígnio (de Deus) e (Abraão) preparava (seu filho) para o sacrifício.

104. Então o chamamos: Ó Abraão,

105. Já realizaste a visão! Em verdade, assim recompensamos os benfeitores.

106. Certamente que esta foi a verdadeira prova.

107. E o resgatamos com outro sacrifício importante.

108. E o fizemos (Abraão) passar para a posteridade.

109. Que a paz esteja com Abraão –

110. Assim, recompensamos os benfeitores -,

111. Porque foi um dos Nossos servos fiéis.

112. E lhe anunciamos, ainda, (a vinda de) Isaac, o qual seria um profeta, entre os virtuosos.

113. E o abençoamos, a ele e a Isaac. Mas entre os seus descendentes há benfeitores, e outros que são verdadeiros iníquos para consigo mesmos.

114. E agraciamos Moisés e Aarão.

115. E salvamos ambos, juntamente com seu povo, da grande calamidade.

116. E os secundamos (contra os egípcios), e saíram vitoriosos.

117. E concedemos a ambos o Livro lúcido.

118. E os guiamos à senda reta.

119. E os fizemos passar para a posteridade.

120. Que a paz esteja com Moisés e Aarão!

121. Em verdade, assim recompensamos os benfeitores.

122. E ambos se contavam entre os Nossos servos fiéis.

123. E também Elias foi um dos mensageiros.

124. Vê que ele disse ao seu povo: Não temeis a Deus?

125. Invocais Baal e abandonais o Melhor dos criadores,

126. Deus, vosso Senhor e Senhor dos vossos antepassados?

127. E o desmentiram; porém, sem dúvida que comparecerão (para o castigo),

128. Salvo os servos sinceros de Deus.

129. E o fizemos passar para a posteridade.

130. Que a paz esteja com Elias!

131. Em verdade, assim recompensamos os benfeitores.

132. E ele foi um dos Nosso servos fiéis.

133. Lot, também, foi um dos mensageiros.

134. Vê que o salvamos com toda a família.

135. Exceto uma anciã, que se contou entre os deixados para trás.

136. Então, aniquilamos os demais.

137. Por certo, passareis defronte eles ao amanhecer,

138. E ao anoitecer. Não pensais, pois, nisso?

139. E também Jonas foi um dos mensageiros.

140. O qual fugiu num navio carregado.

141. E se lançou à deriva, e foi desafortunado.

142. E uma baleia o engoliu, porque era repreensível.

143. E se não se tivesse contado entre os glorificadores de Deus,

144. Teria permanecido em seu ventre até ao dia da Ressurreição.

145. E o arranjamos, enfermo, a uma praia deserta,

146. E fizemos crescer, ao lado dele, uma aboboreira.

147. E o enviamos a cem mil (indivíduos) ou mais.

148. E creram nele, e lhes permitimos deleitarem-se por algum tempo.

149. Pergunta-lhes: Porventura, pertencem ao teu Senhor as filhas, assim como a eles o varões?

150. Acaso, criamos os anjos femininos, sendo eles testemunhas?

151. Acaso, não é certo que em sua calúnia dizem:

152. Deus tem gerado!? Certamente que são embusteiros!

153. Preferiu Ele as filhas aos filhos?

154. Que tendes? Como julgais?

155. Acaso não recebestes admoestação?

156. Ou tendes uma autoridade evidente?

157. Apresentai, pois, o vosso livro, se estiverdes certos!

158. E inventaram um parentesco entre Ele e os gênios, sendo que estes bem sabem que comparecerão (entre os réprobos)!

159. Glorificado seja Deus (Ele está livre) de tudo quanto Lhe atribuem!

160. Exceto os servos sinceros de Deus.

161. E, em verdade, vós, com tudo quanto adorais,

162. Não podereis seduzir ninguém.

163. Salvo quem esteja destinado ao fogo!

164. Dizem: Nenhum de nós há, que não tenha seu lugar destinado.

165. E, certamente, somos os enfileirados (para a oração).

166. E por certo que somos os glorificadores (de Deus).

167. Ainda que (os idólatras) digam:

168. Se tivéssemos tido alguma mensagem dos primitivos,

169. Havíamos de ser sinceros servos de Deus!

170. Porém, (quando lhes chegou o Alcorão), negaram-no. Logo saberão!

171. Sem dúvida que foi dada a Nossa palavra aos Nossos servos mensageiros,

172. De que seriam socorridos.

173. E de que os Nossos exércitos sairiam vencedores.

174. Afasta-te, pois temporariamente, deles.

175. E assevera-lhes que de pronto verão!…

176. Pretendem, acaso, apressar o Nosso castigo?

177. Porém, quando este descer perante eles, quão péssimo será o despertar dos admoestados!

178. E afasta-te, temporariamente, deles.

179. E assevera que de pronto verão!…

180. Glorificado seja o teu Senhor, o Senhor do Poder, de tudo quanto (Lhe) atribuem.

181. E que a paz esteja com os mensageiros!

182. E louvado seja Deus, Senhor do Universo!

- voltar -