Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.

1. Pelo monte (Sinai).

2. Pelo Livro escrito,

3. Em um pergaminho desenrolado.

4. Pelo templo freqüentado.

5. Pelo céu elevado.

6. E pelos oceanos transbordantes.

7. Que o castigo do teu Senhor está iminente.

8. Ninguém pode evitá-lo.

9. (Será) o dia em que o firmamento oscilará energicamente.

10. E as montanhas mover-se-ão rapidamente.

11. Ai, nesse dia, dos desmentidores.

12. Que se houverem dado a veleidades.

13. Será o dia em que se verão violentamente impulsionados para o fogo infernal.

14. (Ser-lhes-á dito): Eis aqui o fogo, que negastes!

15. É isto, acaso, magia, ou não vedes ainda?

16. Entrai aí, porque redundará no mesmo, que o suporteis, quer não. Sabei que sempre sereis recompensados pelo que houverdes feito.

17. Quanto aos tementes (a Deus), viverão em jardins e em felicidade.

18. Gozando daquilo com que o seu Senhor os houver agraciado; e o seu Senhor os preservará do suplício infernal.

19. (Ser-lhes-á dito): Comei e bebei, com proveito, pelo que (de bom) fizestes!

20. Estarão recostados sobre leitos enfileirados e os casarmos com huris, de olhos maravilhosos.

21. E aqueles que creram, bem como as sua proles, que os seguirem na fé, reuni-los-emos às suas famílias, e não os privaremos de nada, quanto à sua recompensa merecida. Todo o indivíduo será responsável pelos seus atos!

22. E os proveremos de frutas e carnes, bem como do que lhes apetecer.

23. Aí bridarão de uma taça, cuja bebida não os levará à frivolidade, nem os induzirá ao pecado.

24. E serão servidos por mancebos, formosos como se fossem pérolas em suas conchas.

25. E acercar-se-ão em tertúlias.

26. Dirão: Em verdade, antes estávamos temerosos pelos nossos familiares.

27. Portanto, Deus nos agraciou e nos preservou do tormento do vento abrasador.

28. Porque antes O invocávamos, por ser Ele o Beneficente, o Misericordiosíssimo!

29. Predica-lhes, pois, que, mercê do teu Senhor, não és um adivinho, nem um energúmeno.

30. Ou dirão: É um poeta. Aguardamos que lhe chegue a calamidade, (produzida) pelo tempo!

31. Dize-lhes: Aguardai, que eu também sou um dos que aguardam convosco!

32. São, acaso, suas faculdades mentais que os induzem a isso, ou é que são um povo de transgressores?

33. Dirão ainda: Porventura, ele o tem forjado ( o Alcorão)? Qual! Não crêem!

34. Que apresentem, pois, uma mensagem semelhante, se estivermos certos.

35. Porventura, não foram eles criados do nada, ou são eles os criadores?

36. Ou criaram, acaso, os céus e a terra? Qual! Não se persuadirão!

37. Possuem, porventura, os tesouros do teu Senhor, ou são eles os dominadores?

38. Ou possuem alguma escada, para escalar o céu, a fim de detectar ali, os segredos? Que os espreitadores apresentem uma autoridade evidente!

39. Ou pertencem a Ele as filhas e a vós os filhos?

40. Ou lhes exiges, porventura, alguma recompensa, e por isso ficam sobrecarregados de dívidas?

41. Ou pensam estar de posse do incognoscível donde copiam o que dizem?

42. Ou (nem suma), intentam conspirar (contra ti)? Qual! Saibam os incrédulos que serão envolvidos na conspiração!

43. Ou, por fim, têm outra divindade, além de Deus? Glorificado seja Deus, de tudo quanto Lhe associam!

44. E se vissem desabar um fragmento do céu, diriam: São nuvens saturadas!

45. Deixa-os, pois, até que se deparem com o seu dia, em que serão fulminados!

46. Dia esse em que de nada lhes servirão as suas conspirações, nem serão socorridos.

47. Em verdade, os iníquos, além desse, sofrerão outros castigos; porém, a maioria o ignora.

48. E tu (ó Mensageiro), aguarda até ao Dia do Juízo do teu Senhor, porque estás ante Nossos olhos. E glorifica os louvores do teu Senhor, quando te levantares,

49. E numa parte da noite, e glorifica-O ao retirarem-se as estrelas.

- voltar -