Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.

1. Bendito seja Aquele em Cujas mãos está a Soberania, e que é Onipotente;

2. Que criou a vida e a morte, para testar quem de vós melhor se comporta – porque é o Poderoso, o Indulgentíssimo -,

3. Que criou sete céus sobrepostos; tu não acharás imperfeição alguma na criação do Clemente! Volta, pois, a olhar ! Vês, acaso, alguma fenda?

4. Novamente, olha e torna a fazê-lo, e o teu olhar voltará a ti, confuso e fatigado.

5. E adornamos o céu aparente com lâmpadas, e lhes destinamos apedrejarem os demônios, e preparamos, para eles o suplício do fogo infernal.

6. Bem como a pena do inferno, para aqueles que negam o seu Senhor. Que funesto destino!

7. Quando nele forem precipitados, ouvi-lo-ão rugir, borbulhante,

8. A ponto de estalar de fúria. Cada vez que um grupo (de réprobos) for precipitado nele, os seus guardiães lhes perguntarão. Acaso, não vos foi enviado nenhum admoestador?

9. Dirão: Sim! Foi-nos enviado um admoestador, porém desmentimo-lo, dizendo: Deus nada revelou! Estais em grave erro!

10. E dirão (mais): Se tivéssemos escutado o meditado, não estaríamos entre os condenados ao tártaro!

11. E confessarão os seus pecados; anátema aos condenados ao tártaro!

12. Em verdade aqueles que temerem intimamente o seu Senhor obterão indulgência e uma grande recompensa.

13. Quer faleis privativa ou publicamente, Ele é Conhecedor das intimidades dos corações.

14. Como não haveria de conhecê-las o Criados, sendo Ele o Onisciente, o Sutilíssimo?

15. Ele foi Quem vos fez a terra manejável. Percorrei-a pois, por todos os seus quadrantes e desfrutai das Suas mercês; a Ele será o retorno!

16. Estais, acaso, seguros de que Aquele que está no céu não vos fará ser tragados pela terra? Ei-la que treme!

17. Ou estais seguros de que Aquele que está no céu não desencadeará um violento furacão sobre vós? Logo sabereis como é a Nossa advertência.

18. Em verdade, os seus antepassados desmentiram os Meus enviados. Porém, que terrível foi a Minha rejeição!

19. Não reparam, acaso, nos pássaros que pairam sobre eles, protraindo e recolhendo as suas asas? Ninguém os mantém no espaço, senão o Clemente, porque é Onividente.

20. Ou então, qual é o exército com que contais para socorrer-vos, em vez do Clemente? Em verdade, os incrédulos estão grandemente iludidos.

21. Ou então, quem será que os sustentará se Ele retiver as Suas mercês? Não obstante, obstinam-se na perfídia e no extravio.

22. Quem está melhor encaminhado: o que anda, vacilante, pela tortuosidade, ou quem anda, altaneiro, pela senda reta?

23. Dize-lhes: Foi Ele Quem vos criou e vos dotou de ouvidos, de vistas e de faculdades. Quão pouco Lhe agradeceis!

24. Dize-lhes (mais): Foi Ele Quem vos multiplicou, na terra, e ante Ele sereis congregados.

25. Porém, perguntaram: Quando se cumprirá tal promessa? Dizei-nos, se estais certos.

26. Responde-lhes: Só Deus o sabe, e eu sou unicamente um admoestador elucidante.

27. Mas , quando o virem (o castigo) de perto, os rostos dos incrédulos se ensombrecerão e lhes será dito: Aqui tendes o que pedíeis!

28. Dize-lhes: Se Deus me fizesse perecer, juntamente com os meus seguidores ou se se apiedasse de nós, quem livraria os incrédulos de um doloroso castigo?

29. Dize-lhes (mais): Ele é o Clemente, no Qual cremos e ao Qual nos encomendamos. Logo sabereis quem está em erro evidente!

30. Dize-lhes (ainda): Que vos parece? Se a vossa água, ao amanhecer, tivesse sido toda absorvida (pela terra), quem faria manar água potável para vós?

- voltar -