Mesquita Mohammad Mensageiro de Deus – Sermão de Sexta-feira – 20/04/2018

Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso.

Louvado seja Deus o senhor do universo, que a paz e a bênção de Deus estejam com o Profeta Mohammad (S.A.A.S.), seus Ahlul Bait (A.S.) e seus bons companheiros.

Testemunho de que não há divindade além de Deus, o único, o Onipotente e testemunho que Mohammad é o Seu escolhido entre Suas criaturas, e que foi enviado para a revelação da mensagem da Misericórdia para toda humanidade.

Ó servos de Deus recomendo-vos a temência. A temência a Deus, louvado seja é uma proteção e salvação para as pessoas, para alcançar a satisfação de Deus.

Nos últimos dias celebramos três importantes ocasiões.

A primeira celebração é o nascimento do quarto Imam sucessor do Profeta Mohammad (S.A.A.S.), Ali ibnol Hussein (A.S.), conhecido como Imam Assajad (A.S.).

A segunda data é o nascimento de Abu Fadlil Al-Abbas (A.S.), o fiel, o defensor, o porta bandeira da revolução do seu irmão, o terceiro Imam da nação islâmica, Imam Hussein ibn Ali (A.S.).

E a terceira celebração é a data do nascimento do Imam Hussein (A.S.).

As personalidades acima citadas são os guardiões, orientadores e protetores da mensagem do Profeta Mohammad (S.A.A.S.) e os salvadores da humanidade.

Imam Hussein (A.S.) é o senhor dos jovens habitantes do paraíso, o que é confirmado pelas palavras do Profeta Mohammad (S.A.A.S.). A mensagem e ideologia desta sagrada personalidade através dos tempos, épocas e décadas se expande para toda humanidade. A missão deste Imam era divulgar a mensagem do seu avô que é a mensagem do Islam, para toda humanidade.

Ele não poupou esforços e sacrifícios pela causa de Deus. Imam Hussein (A.S.) desenhou uma grandiosa obra para a humanidade, a obra da liderança da defesa da religião, da dignidade do ser humano através do esforço e da luta.

Nessa mesma linha e filosofia encontramos o seu grande irmão Abu Fadl Al-Abbas (A.S.), que alcançou o nível máximo de temência, sabedoria e lealdade a Deus, ao Seu mensageiro e aos sucessores do Profeta Mohammad (S.A.A.S.).

Abu Fadl Al-Abbas nos deixou grandiosas lições e exemplos, entre tais quando recordamos sua atitude de não beber nenhum gole de água na beira do rio Eufrates quando lembrou do seu irmão Hussein que estava com sede. O Imam Hussein (A.S.) estava indefeso e necessitado de ajuda, e Abul Fadl Al-Abbas não o decepcionou, nem o abandonou. Lutou ao seu lado até o ultimo segundo de sua vida.

Abu Fadl Al-Abbas (A.S.) recitou a seguinte poesia:

Ó alma, depois de Hussein (A.S.) nada mais você valerá;

E depois de Hussein (A.S.) tu não existirás;

Este é Hussein (A.S.) que está à beira da morte;

E você tomou a água fresca?

Por Deus, não é a doutrina que lhe foi ensinada.

Isso significa que ele se dispôs a proteger a causa de Deus.

Certamente o assassinato do Imam Hussein (A.S.) poria fim a doutrina islâmica, pois o legado do Imam Hussein (A.S.) significava a preservação e a continuidade da mensagem do seu avô, o Profeta Mohammad (S.A.A.S.), o que foi também a missão de todos os Imames.

O Islam é uma doutrina e religião única e não possuiu duas formas. Existem crenças e doutrinas falsas que guiam o ser humano a idolatria, injustiça, falsidade e mentira, e tudo isso em nome do Islam, mas o Imam Hussein (A.S.), Abu Fadl Al-Abbas (A.S.) e os filhos de Hussein (A.S.) foram os mecanismos que protegeram o Islam de tais manipulações e distorções.

Saudações ao quarto Imam sucessor do Profeta Mohammad (S.A.A.S.), o Imam Ali ibnol Hussein (A.S.), conhecido como Imam Assajad (A.S.), o prostrador, aquele que muito se prostra para Deus. Ele que aprendeu de seus antecessores, o Profeta Mohammad (S.A.A.S.), Fátima Azzahra (A.S.), Imam Ali (A.S.), Imam Hassan (A.S.) e do Imam Hussein (A.S.), a profundidade da devoção e da espiritualidade. O Imam Assajad (A.S.) era em seu tempo um líder sábio e devoto orientador das pessoas, e apresentou o verdadeiro Islam e a verdadeira mensagem que foi transmitida pelo seu avô, o mensageiro de Deus (S.A.A.S.).

Imam Ali ibn Hussein (A.S.) viveu em condições extremas, enfrentando a espionagem e tentativas de assassinato, pois a política dos governantes tinha como interesse a eliminação do Imam, mas ele (A.S.) não caiu nessa armadilha, sendo diplomático em suas ações e não dando motivos para seus inimigos tramarem contra ele.

Imam Ali ibn Hussein (A.S.) presenciou o martírio de seu pai, Imam Hussein (A.S.), e por ter ficado doente durante a batalha de Karbala sua vida foi poupada, e assim continuou a missão do Imamato na propagação do Islam verdadeiro através de sua sabedoria, suas súplicas e devoções, algumas registradas no livro “Assahafia Assajadiyah” (Os Salmos Islâmicos).

Estão registradas em nome desse grandioso Imam (A.S.) súplicas profundamente espirituais. Os Imames não aprendem e nem são ensinados pois a sabedoria e o conhecimento nascem junto com eles, introduzidos em suas mentes como herança dos seus ancestrais.

Imam Ali ibn Hussein nos deixou também o grande “Risalat Al-Hoquq” (O tratado dos direitos) no qual nada foi omitido. Direitos dos amigos, companheiros, trabalhadores, empregados, parentes, pais, filhos e até mesmo animais, todos foram citados. Como é bom conhecermos nossos deveres e direitos para cumpri-los.

Imam Ali ibn Hussein (A.S.) e todos os Imames sucessores do Profeta Mohammad (S.A.A.S.) são responsáveis por preservar e elucidar para as pessoas a doutrina islâmica verdadeira. Eles deixaram suas vidas e se colocaram à disposição e a serviço de Deus, sempre dispostos a se sacrificar pela preservação da mensagem do Islam.

Deus, Exaltado e Poderoso, é o que determina a vida de tudo. O Imames (A.S.) são santificados por executarem os planos de Deus na Terra e esse é o grande valor conferido a eles.

Os Imames (A.S.) sucessores do Profeta Mohammad (S.A.A.S.) são doze, e é nosso dever obedecê-los. Depois do Profeta da misericórdia, Mohammad (S.A.A.S.), que foi o selo de todos os profetas e mensageiros, temos o primeiro Imam Ali ibn abi Taleb (A.S.) e o último Imam é o Imam Mohammad ibn Al-Hassan Al-Mahdi (A.F.), o qual continuará a liderança e estabelecerá os verdadeiros princípios islâmicos e a justiça sobre a Terra.

Temos uma tradição reconhecida por todos os muçulmanos de diferentes seitas em que o Profeta Mohammad (S.A.A.S.) diz: “Quem morrer antes de conhecer (saber) o Imam (Guia e líder) de sua época morrerá em estado de ignorância”.

Assim entendemos o dever de aderir às ordens e seguir seus ensinamentos, que são também os ensinamentos do Profeta Mohammad (S.A.A.S.).

Nenhum ser humano poderá ser orientado sem permissão de Deus sendo que os Imames (A.S.) são o caminho para Deus pois a tradição deles é a tradição do Profeta Mohammad e eles são a tradução da doutrina do Islam aqui na Terra.

É de extrema importância que nos organizemos e determinemos certo tempo de nossas vidas para estudar a biografia e a vida dos Imames (A.S.), que são um mar de conhecimento.

Agora vamos falar um pouco sobre o terceiro Imam sucessor do Profeta Mohammad (S.A.A.S.), Imam Hussein ibn Ali (A.S.), o qual em sua época era a fonte de conhecimento islâmico e todos o procuravam, assim como procuravam o Profeta Mohammad (S.A.A.S.) em sua época.

Entre o grande legado que o Imam Hussein (A.S.) deixou destacamos os seguintes ensinamentos:

O primeiro é: “Não se esforce por algo que não consiga fazer”. Seja algo impossível para nós no ponto de vista físico, financeiro, mental ou etc. Um exemplo disso é a devoção exagerada e a devoção de horas acordado rezando ou lendo o Alcorão Sagrado. É evidente que se a pessoa consegue e tiver condições de realizar estas devoções isto é excelente, e ela terá a felicidade e a satisfação de Deus nesta e na outra vida, mas tudo deve ser feito dentro do limite físico de cada um, senão a pessoa não sentirá o verdadeiro sabor daquilo.

O segundo é: “Não se coloque perante uma situação que não compreende”. Há pessoas que buscam algo impossível de acordo com suas condições e possibilidades. Imaginemos alguém que não estudou, não se formou e não se esforçou e quer ser um professor?! Não é correto a pessoa se colocar numa condição de dificuldade ou sonhos impossíveis de serem realizados, pois isto levará a depressão atingindo sua moral, entusiasmo, e etc.

O terceiro é: “Não prometa algo que que não consiga cumprir”. Não faça promessas a seus filhos, sua esposa, seus amigos, clientes, empregados e ao povo a menos que consiga cumprir. A promessa é uma escravidão.

O quarto é: “Não gastar mais do que sua receita”. A pessoa deve economizar seu dinheiro para o dia de amanhã. É um desperdício gastar com o que não precisamos, e o desperdício é pecado.

O quinto é: “Não esperar gratidão superior ao que merece”. Se fizemos um favor ou algo para alguém, familiares ou amigos, não devemos esperar gratidão maior que aquilo que fizemos. Não reclame e não espere receber algo além do que você merece. Perante a Deus nós buscamos os favores porque Ele é generoso e nós somos pobres perante Ele, e por um simples ato ou palavra esperamos ser pagos por Ele. A generosidade de Deus não tem cabimento na simples compreensão humana, pois uma simples palavra, oração ou ato não merece tantas recompensas divinas, mas as leis divinas celestiais não são as mesmas leis humanas e naturais.

O sexto é: “Não se alegrar com algo, exceto se atrair a satisfação de Deus”. Muitas vezes o ser humano se alegra com conquistas materiais ou mundanas, mas na verdade ele deve se alegrar apenas quando alcançar a satisfação divina com suas conquistas. O ato de fazer uma devoção com sinceridade, se abster de comer, beber ou fazer algo ilícito ou algum ato de pecado é algo digno e merecedor da felicidade e da alegria do homem.

O sétimo é: “Não se colocar numa situação em você não consegue realizar”. Não seja médico se não consegue curar as pessoas, não seja professor se não consegue ensinar as pessoas e não seja um líder religioso se não consegue orientar as pessoas.

Esses são as orientações que o Imam Hussein (A.S.) nos deixou e que abrangem vários aspectos da nossa vida, sejam eles sociais, políticos, financeiros, econômicos, empresariais ou religiosos.

Imam Ali ibn Hussein (A.S.) nos deixou um valioso legado que é o livro, da Assahifa Assajadiyah (Os salmos islâmicos), um livro valioso com súplicas e orações, morais, educacionais e espirituais.

Em uma dessas súplicas temos o seguinte trecho: “…Ó Deus nosso, suplico o perdão por aquele oprimido que foi injustiçado diante de mim e não o ajudei. Suplico o perdão por aquele que veio até a mim solicitar algo e não tive o que oferecer. Suplico o perdão pela falha de um muçulmano, e que não consegue ocultar…”.

Essas palavras do Imam Ali ibn Hussein (A.S.) estão cheias de espiritualidade, e tocam as profundezas dos nossos corações.

Que a paz e a benção de Deus estejam com Ali ibn Hussein.

Que a paz e a benção de Deus estejam com Abu Fadl Al-Abbas.

Que a paz e a benção de Deus estejam com o Imam Hussein.

Que a paz e a benção de Deus estejam com o Mensageiro de Deus.

Que a paz e a benção de Deus estejam com todos os Imames.

Que a paz e a benção de Deus estejam com estejam com todos.

 

 

 

«
»