Palavra do Sr. Lamé Smaili (Secretário de Assuntos Difusos de Guarulhos/SP) no Encontro Islâmico no Brasil

Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso!

As Salam Alaikum.

Em primeiro lugar quero agradecer a Deus, o Todo Poderoso, pela oportunidade de participar de um evento pela paz. Quero saudar o organizador deste evento, o Sheikh Taleb al-Khazraji, e parabeniza-lo pela coragem e determinação ao organizar um evento deste porte, desta natureza, com o intuito de esclarecer a todos a respeito de uma imagem que tem sido imputada aos muçulmanos, mas que não é verdadeira.

Então, parabéns Sheikh Taleb al-Khazraji, por sua determinação, e por ter convidado o Ayatullah Mohsen al-Araki, um grande líder, eu diria um peregrino pela paz, que injustamente vem sendo atacado pela mídia desinformada, que tem feito um infeliz trabalho de propagação do ódio e da discriminação e preconceito em nosso país.

Minhas saudações também se estendem ao Embaixador da República Islâmica do Irã, pois é um prazer conhece-lo. E minhas saudações também são direcionadas ao Sr. Marcelo Suzetto, diretor de Relações Internacionais do Movimento Sem-Terra, e ao meu amigo ex-senador e atual vereador da cidade de São Paulo, o Sr. Eduardo Suplicy.

Sou secretário de assuntos difusos de Guarulhos, uma secretaria que realiza um trabalho que está muito além da questão dos direitos humanos, pois trata do direito à vida, o que é justamente o que a fé islâmica preconiza, fé a qual pratico com muito orgulho e que me ensinou acima de tudo a prática da justiça social, da justiça econômica, da tolerância entre os seres humanos, do respeito entre as religiões e fés, e que me ensinou a cultura da paz e o repúdio a toda forma de ódio e intolerância.

Neste país nós sempre tivemos uma política de aproximação entre as pessoas, mas lamentavelmente vemos que determinados setores da mídia conseguem manipular a informação e transmitir uma mensagem de ódio e de propaganda não verdadeira. E a fé islâmica, como disse o Sheik Taleb al-Khazraji, é uma fé de esperança e que deseja aproximar o ser humano.

Nossa política na cidade de Guarulhos é muito clara no que diz respeito a aproximação do ser humano e aceitação das diferenças. Temos que ter a grandeza de aceitar e respeitar o que é diferente. O julgamento é Deus quem determina, não os seres humanos. Se Deus perdoa os seres humanos quem somos nós para julgarmos a religião e a fé dos outros? Isso é Deus quem julga. Nós avaliamos as pessoas pela sua conduta, pelo seu comportamento, e a fé islâmica é muito clara no repúdio de toda e qualquer forma de violência, no repúdio de toda e qualquer forma de agressão, no repúdio de toda e qualquer forma de ocupação das terras alheias, e refiro-me aqui à ocupação do território palestino, perpetrada por uma política de segregação.

Na África do Sul o saudoso Nelson Mandela foi exemplo de luta contra a segregação e o racismo ao lutar contra o apartheid, onde o racismo era contra os negros. E na Alemanha nazista o racismo, preconceito e perseguição eram contra os judeus, hoje o racismo e perseguição são contra os muçulmanos. Não importa se são muçulmanos xiitas, sunitas, brasileiros, iranianos, árabes, o plano é realizar uma perseguição contra esta parcela da humanidade, e, diga-se de passagem, um terço da humanidade confessa a fé islâmica. Mas a história mostra que os muçulmanos, em todas as suas andanças pelo planeta, pregaram a paz e a tolerância, aliás, foram os muçulmanos que salvaram os judeus da inquisição espanhola. Aliás, me orgulho de ter muitos amigos judeus, que são progressistas e defendem o ser humano, que entendem que somos uma raça única, a raça humana. Hitler dizia que a raça superior era a raça ariana, os sionistas dizem que a raça eleita por Deus são os judeus, mas sabemos que Deus criou uma única raça, a raça humana. Sem distinção de cores ou fé. Deus não criou a raça muçulmana, judaica ou cristã, ele criou a raça humana. Esta deve ser valorizada, e toda e qualquer violência tem que ser combatida.

Portanto, Ayatullah Mohsen al-Araki, seja bem-vindo a este país. Ao contrário do que disse uma secretária de governo que alega defender os direitos humanos no Rio de Janeiro, eu como secretário de assuntos difusos e dos direitos humanos, da maior cidade não capital deste país, que é Guarulhos, lhe dou as boas-vindas ao nosso país, como peregrino da paz, trazendo uma mensagem de amor, paz e aproximação entre os seres humanos. Precisamos aproximar as pessoas e não distancia-las, precisamos saber respeitar as mulheres, a pluralidade, a igualdade entre os gêneros. Na época do Profeta Mohammad (S.A.A.S.) a mulher muçulmana ocupava cargos de direção, dirigiam o mercado, a feira, os comércios, portanto a fé islâmica, ao contrário do que a mídia desinformada propaga por aí, é a libertação do ser humano.

Muito obrigado, e parabéns pelo evento. Contem com a cidade de Guarulhos em defesa dos seres humanos.

Sr. Lamé Smaili – Secretário de Assuntos Difusos de Guarulhos/SP
Encontro Islâmico no Brasil – São Paulo, 29 de julho de 2017.

 

 

 

 

«